Curva de saturação do ar
Home Comfort

Tem dúvidas?

Estamos à sua disposição para qualquer pergunta ou esclarecimento.

Consumidor final: +49 2452 962 450
E-Mail: info@trotec.com
  1. Produtos e Serviços
  2. Máquinas - HomeComfort
  3. Desumidificação
  4. Conhecimento prático Desumidificadores
  5. Conhecimentos básicos humidade do ar

Conhecimentos básicos humidade do ar

Tudo em volta da humidade do ar é absolutamente relativo

Quer seja no escritório, na oficina ou em casa – um clima interior ideal é a condição fundamental para o bem-estar e a saúde dos moradores.

Não menosprezável é ainda que um clima interior percecionado como agradável também promove a produtividade e pode ajudar a reduzir as faltas no trabalho.

Há dois fatores decisivos para estas condições climáticas: a temperatura ambiente e a humidade relativa do ar.

É dentro de um “corredor climático” de 20 a 22 °C e 40 a 60 % de humidade relativa do ar que nos sentimos mais confortáveis, conforme ilustrado abaixo no diagrama de bem-estar. A maioria das pessoas perceciona condições climáticas fora destes valores como desagradáveis.

Além disso, uma humidade do ar demasiado elevada pode causar os mais variados danos. Os primeiros sinais de alarme reconhecíveis são principalmente roupas húmidas, cheiro a mofo e paredes manchadas (manchas de bolor) ou batatas greladas em caves.

Sabia, por exemplo, que o bolor já se forma a partir de 70 % de humidade do ar – e a ferrugem já a partir de 60 %?

Diagrama de bem-estar
Teor de vapor de água do ar: A uma temperatura de 25 °C, um metro cúbico de ar absorve no máximo 23 g de água, o que corresponderia a 100% de humidade. Se, através do contacto com superfícies frias, este ar arrefecer até 10 °C, apenas poderá absorver 9,4 g. O excesso de humidade condensa, então, nas superfícies mais frias sob a forma de água.
Teor de vapor de água do ar
Tecnologia de aparelho para desumidificadores – Conhecimento prático da Trotec

Conhecimento prático sobre desumidificadores – Sumário de todos os capítulos

Capítulo 1: Conhecimentos básicos humidade do ar – tudo é absolutamente relativo

Capítulo 2: Resumo dos métodos de desumidificação – Condensação e adsorção

Capítulo 2.1: Desumidificadores de condensação com tecnologia de compressor

Capítulo 2.2: Desumidificadores de condensação com tecnologia de Peltier

Capítulo 2.3: Desumidificadores de adsorção

Capítulo 3: Que método de desumidificação para que fim?

A teoria antes da ação

Para poder manter otimamente secos os seus recintos podem ajudar conhecimentos básicos sobre o tema Humidade do ar. O ar não pode absorver água de forma ilimitada – há um limite de saturação, portanto uma quantidade máxima de vapor de água, que, em absoluto, pode ser absorvida pelo ar – chama-se a humidade absoluta do ar e é indicada em gramas de água por metro cúbico de ar.

Partindo desse princípio, o teor de vapor de água realmente contido no ar em relação à quantidade de vapor de água que poderia, à temperatura atual, ser, no máximo, absorvida pelo ar é designada como “humidade relativa” (H. R.). Assim, se, por exemplo, o ar ambiente apresentar uma humidade relativa de 50 %, então encontra-se nele retido exactamente metade da quantidade de água máxima possível, à temperatura atual.

É tudo uma questão de temperatura

A capacidade de absorção de água do ar depende, portanto, sempre da sua temperatura. Quanto mais frio o ar, menos água poderá absorver. O quadro abaixo demonstra este facto em cinco valores de temperatura.

Efeito da temperatura ambiente sobre a capacidade de absorção de água do ar ambiente

Temperatura ambiente 25 °C 20 °C 15 °C 10 °C 5 °C
Exemplo 1
Humidade rel.
constante do ar
Humidade
relativa do ar
80 % 80 % 80 % 80 % 80 %
Teor de água
do ar ambiente
18,4 g/m³ 13,8 g/m³ 10,2 g/m³ 7,5 g/m³ 5,4 g/m³
Exemplo 2
Teor de água constante
Teor de água
do ar ambiente
5,4 g/m³ 5,4 g/m³ 5,4 g/m³ 5,4 g/m³ 5,4 g/m³
Humidade
relativa do ar
23,5 % 31,3 % 42,1 % 57,5 % 80 %

No exemplo 1, a humidade relativa é mantida num valor constante de 80 %, enquanto o teor absoluto de água no ar correspondente varia, de forma expressiva, em função da temperatura.

No exemplo 2, a quantidade absoluta de água contida no ar é mantida constante, enquanto a humidade relativa aumenta gradualmente à ­medida que a temperatura baixa.

Admitimos que se trata de uma tema complexo – e que mais complicado se torna quando consideramos que a corrosão, a podridão ou o bolor de desenvolvem apenas em função da humidade relativa e não do teor absoluto de água no ar.

Apenas a relativa é absolutamente ­relevante

Assim, enquanto no exemplo 2 a temperatura ambiente de 5 °C e um teor de água de 5,4 g/m³ resultam numa humidade relativa de 80 %, propícia ao crescimento de fungos, mas também, corrosiva para metais, o mesmo teor de água a uma temperatura ambiente de 25 °C apenas resulta numa humidade relativa de 23,5 % e, portanto, num clima interior demasiado seco, irritante para as vias respiratórias. Nestas condições climáticas, o bolor e a ferrugem não teriam qualquer hipótese, embora o ar ambiente contenha ainda a mesma quantidade de água de 5,4 g/m³.

Assim, apenas importa controlar exclusivamente a humidade relativa do ar. A humidade absoluta removida do ar não tem qualquer impacto, apenas a humidade relativa que prevalece!

A compreensão básica destas relações físicas é crucial para a implementação de uma solução de desumidificação eficaz para a sua problemática.

Influência da humidade relativa nas interações humano-biológicas:

Bactérias
Vírus
Bolor
Ácaro
Infeção das vias respiratórias
Alergias, asma
Apresentação conforme o diagrama de Scofield-Sterling